Thursday, December 20, 2007

Incomplete.....

Sei que algo fico incompleto....sei que ficas-te com esse sentimento atravessado.......sinto o mesmo e revoltado, a forma como cortaram e não permitiram que nos vissemos......mas acima
de tudo nunca mas nunca deixas-te de pensar em mim e dizeres o meu nome, Nunca nem ninguem jamais o poderá apagar...o sentimento que tinhas por mim e eu por ti....

Estás e sempre irás estar comigo......Eu sei e sinto que sim, que olhas por mim tal como eu me lembro de ti cada dia que passa... Cada gesto, cada olhar....consigo ouvir-te..... sei que em nós não há maldade, ao contrário dos Abutres invejosos. que como tu sabes nunca mais irão ser felizes pela ganancia e avareza...... Acima de tudo não guardo recentimentos pela forma que as coisas foram caminhando....nunca parei de pensar e lembrar-me de ti.

Ensinaste-me muito.....conhecias-me como ninguém e conseguias ver o que só mesmo os que nos amam vêem....

Tenho saudades tuas.....e tu sabes e sei que partistes com esse sentimento....e não me viste......
tentaram esconder as coisas......e nas tuas costas fizeram tudo sem piedade.....mas deixa... o tempo encarrega-se do destino dessas pessoas.... e eu vou estar como sempre estive, em teu respeito......o teu e eterno Numero 1.

Felizmente que os que por ultimo te rodearam, fingindo que gostavam de ti......jamais tiveram e terão o sentimento que tinhamos um pelo outro....

Eu oiço-te ....essas pessoas não......amo-te mto TIA

Estás no meu coração

video

Tuesday, October 23, 2007

Espiríto Indío....


Faltam poucas horas....
Já os indíos iam....e voltavam com troféus. Pintura de guerra prontos para irem á luta, sempre em busca da sobrevivência. Formulas antigas, formulas de sucesso.
Afinal há muito mais além do que se imagina, até perder de vista, tudo uma questão de querer ou não ver, tudo uma questão de querer ou não querer...
De lança em punho olhar atento , olhar desconfiado, atitude confiante...FORÇA vamos a isso
gradualmente aumentamos a fasquia, como se de um teste se trata-se.
De água nos tornozelos os peixes nadam, o reflexo da ponta da lança avista o sucesso,
AGARRAAAAA ou nunca teremos um espirito indío ;)

Wednesday, September 26, 2007

DOHA

Espaço retro... lindo excelente para a inspiração do blogue.

Uma vez mais de volta, ao mesmo sitio ao mesmo sofá, optimo para escrever. Tudo aqui tem haver com tudo....
Neste momento estou na chaise-long encarnada, estou a pensar ainda mais longe, do que este sitio, enquanto seguro um nobel. ainda é cedo, decidi desayunar aqui mesmo, pois sinto me bem aqui.

Este e outro dos meus refúgios de eleição.


In Madrid Barajas 07-05-25

Decisão agora ou agora


Agora. Nunca é fácil não vai ser dificil, um só céu, a decisão de subir mais alto, ponto de retorno cada vez mais para trás vai ficando, mais definida uma certeza AGORA.

Para trás fica um nivel de recordações, vitórias recompensas, tristezas, aborrecimentos, acções que o tempo cria em que somos personagens reais.
Afinal isto não pára, e a prespectiva avizinha-se de novos desafios, que seja uma rota de sucessos.
AGORA
obg (ti)


Afinal e agora. Cleared

Wednesday, May 16, 2007

El traste ainda é o melhor.


GANGS OF MADRID



Palavras para quê?


Entrêcot con arroz blanco una caña cortada con limon e un apple pÍ. (LOLOLOLOLOL)


Melhor ainda Atenção á comida turca em Madrid, pois podemos apanhar um turco que não

entende castellaño, varre batatas fritas do chão para o prato (mal). Facturas ou recibos para quê??? lolol registadora (estorpiada). Cardápio mental lol Mas o postal ficou estragado quando se ouviu dizer:

-No ya cañas aquí !!!!


-entoncés una água.


-NOOO TENNGO ALCHOOL AQUÍ !!!!!!!!!! LOLOLOLOLOLOLOL.


-no comments-


Tuesday, April 17, 2007

Ela Chegou....

Chegou.
Finalmente foi aparecendo, deixando lentamente o desagradável, e as vezes apetecivel inverno e mau tempo...

Sim Prima - Vera onde estavas...espero que não estejas muito longe do verão, pelo menos que não o tenhas perdido de vista.


Atráves das suas manhãs prometedoras de um dia azul, com um toque a verão, a despertar todo o lado positivo e impulsivo.

Os fins de Tarde que outroura eram muito desejados para jogos de bola na rua, bicicleta,amigos, e o sentimento de mais um dia passado, mais próximo das férias.


A tarde em si traz nostalgia e alguma saudade de como viamos os dias, como se agora mesmo tivesse a viver esses momentos, até a posição das nuvens, parece estar na mesma , os cheiros os burburinhos, a claridade tardia que nos faz parecer que o dia ainda reina. Ainda é Cedo !!

Os cafés as esplanadas enchem-se de gente, fica-se com vontade para tudo, os jardins os parques de cidade, os passeios maritimos, substituem os centros de compras "artificiais".
Todos querem o mesmo, nos mesmos dias. Pelo menos a maioria, a não ser que seja agosto, ai o país fica ligeiramente mais Alto a Norte, o Sul geralmente fica mais baixo uns graus, pois vão todos ao mesmo tempo, e a culpa não é só da Primavera que nos prepara para o verão.

Friday, April 6, 2007

Level 1


..Nunca havia dado tanta gargalhada como o fim de semana...lolololololol

Nem num mês....também estou sempre a rir..


Mesmo o Episódio do "Teatro Kapital"...teve a sua graça....mas e espektakular....aconselho...mas atenção ao dress-code.


lolololol Tijolos...lololololólol Inda estou para perceber a cena do Biberom pelo camareiro...lololololol afinal devia mesmo ter ido bater as portas......lolololollolololololololololololol

...das melhores que ainda me dá vontade de rir:


-Sim temos reserva....devem ter percebido mal...LOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOL certo e que jantamus......


fogooo nem o Hard-Rock encontrei....bom também não prokurei....não deu..lolololololol

nem a feira consegui ver.....bom da proxima vez e de vez...

Wednesday, March 7, 2007

Toda a Verdade do Crédito á Habitação em Portugal


Já ouviram e viram aquele banco ( x ) a dizer
crédito habitação duplo zero?

lol claro que já ...eu vou desvendar como funciona, em duas frases:

Um zero, e a imagem que o banco têm de nós....
outro Zero e o que o banco nós dá....


Haaa esquecia-me tudo á esquerda.


Entenderam....lol

Pontos de Vista....


E aquele ponto de cruzamento em que várias prespectivas se cruzam…..

A que respeitar o cruzamento….afim de não haver desentendimentos maiores.

O que pode ser perfeitamente normal pode ser visto como anormal e imperfeito e vice versa. . .

Devemos ser sempre previdentes e cautelosos com o próximo..pois o risco de colisão é maior…pois os pontos de vista são diferentes…mesmo vistos ao espelho.

Devemos olhar spr para trás…pois o que de mal ou bem se veja pela frente…o farão nas nossas costas….

(Pelas tuas vejo as minhas…..)

A velhinha questão….da pedra….atire a primeira…quem….blá blá,blá.

Devemos defender o que é nosso…em todos os campos….materiais,físicos, meta-fisicos, temporais/ intemporais, tudo…senão nunca havemos de ser nós própios, hab«vemos spr de viver em função de terceiros e ideais alheios…… a partida todos são sérios até ver….sem conhecer ninguém pode tirar um juízo pleno…..
Os primeiros cinco minutos de convívio….podem ditar de imediato as dúvidas….e comprova-se não é difícil…..

Há picos de emoção que levam ao descontrolo….nada que não se tenha adivinhado nos cinco minutos de convívio….temos que ser cordiais….e amavéis….nunca nos cinco minutos passar ou mostrar os limites da inconsciência da iresponsabilidade…pelo menos nesses cinco minutos que falo…..compromete-se logo o futuro e os ideais que temos em sociedades urbanas, as quais somos obrigados a conviver de uma forma ou de outra….não somos é obrigados a gostar sem opinar…..somos livres…..e o ano de 74 é a resposta para quem está contra o que se diz aqui……

Todos temos o ponto de vista diferente todos somos livres de expressão..mesmo que ningém nos pergunte…..as palavras valem mais que as acções….
Se não o fizer vou contra as minhas convicções,,,,e posso estar profundamente errado…..mas então…..quero outros pontos de vista que não os meus…..
Quab«ndo nos atingem aos nossos interesses devemos logo fazer ver o nosso ponto de vista que é diferente….certo ou errado…..saber ouvir…….o porquê,,,,há dúvidas???
Ou não tenho razão???

Serei louco por ser eu mesmo?

O segredo de viver em sociedade global….e saber viver em democracia…aberta…..não libertinagem, e excesso de confiança….por muito que sejamos ou assuma-mos responsabilidades na nossa vida…o risco está sempre…sempre á espreita….e o dia que pensarmos: (está tudo controlado, e só hoje), e o dia que vai acontecer qualquer coisa……seja desentendimento seja o que for.
Mas nesse dia tudo está mal e corre mal….
O Excesso de confiança faz-nos ultrapassar os limites do aceitavél…chegando a colocar em risco e destruir o tal “segredo” de viver em sociedade.

A vida não passa disso mesmo...

A irresponsabilidade e a irreverência não ligam, e são coisas que se é ou não é por principio


A lei de Murphy diz:
“Se pode acontecer…
Vai acontecer….”

Devemos ter essa consciência sempre presente….com quem conhecemos muito bem….e principalmente com desconhecidos…


Este e um ponto de vista…..

Friday, March 2, 2007

Destino ou Destinado....


Destino...aquele que seguimos....

Destinado.....aquele que escolhemos...


Coincidências ou não...está destinado...parece que quando falamos...lá está....será possivel que nos leiam o pensamento....


Imaginem-se na rua com alguém ...falam de qualquer assunto....e de repente alguém nos aborda num sentido imperativo, com um assunto completamente desfazado em tempo.....e de repente parece que esse alguém sabia com exactidão o que falavamos.....isto é o que?....destino ou estava destinado que viesse alguém dizer ...não!!!!


Nesse mesmo dia parecia destinado a premunições terceiras...e certeiras......


Será o anjo ou o diabrete no pensamento que deixa qualquer um lêr o pensamento? ou

será mesmo coisas do destino....


Por muito que façamos idealizamos ,etc todos tentamos antever o destino e programar o que irá ser destinado.....como se uma linha contínua se tratasse. E por vezes não consigamos por motivos exteriores seguir o nosso destino.....até que ponto os destinos estão ligados....e como...??



....Está destinado.....se assim tiver que ser...pois nada é certo, nem mesmo o destino.
....Talvez os senhores e a (senhora) da foto achassem o mesmo..........ou NÃO.

Thursday, March 1, 2007

O Sexo (fraco)


O sexo feminino lolol claro…..o que nos vêm logo á mente….aquela frase banal e muito já fora de moda “mulher ao volante perigo constante” lolol ou então do tipo…
“loira”…..o mais grave é as da própia espécie o dizerem lololol …bem Max também nada mais saudável do que nos rirmos um bocado de nós mesmos……
Mas depois não venham dizer que somos Machistas, que nós e que deitamos por terra tudo…lolol os mitos existem…álias está provado…..claro que nos EUA ( Só mesmo ai nessa terra de estudos contraditórios) Houve um estudo, em que se chegava á conclusão que as mulheres eram mais cuidadosas ao volante, etc etc, etc.
-Não tenho nada com isso desde que não me destruam o meu meio de deslocação…. –
Elas querem mandar…….constantemente se queixam de tudo……tudo é injusto, a velha máxima de que somos machistas etc….querem lá ver….E não temos alguma razão…..
Bom isto parece um discurso de quarentão frustrado e solteiro lolololol
Mas nada como as provas que também sofremos…

Nõs e que somos injustiçados e rotulados de imediato….lolol e em tudo….
Querem exemplos…lolololol
Uma Mulher cuja sua cor favorita seja o cor-de-rosa, E normalissimo ..Ora um Homem cuja a cor favorita seja a mesma…lolol Ou é excêntrico ou é Gay.
Uma Mulher que escreva um Diário….Normalissimo…Agora um homem…..não vale a pena dizer…não é?
LOLOL as mulheres condenam logo….
Se vêm um homem na cozinha e porque ….lololololol
Isto fora a grande imaginação que têm para…o inimaginável !!!!!!!

A parte disto:

Rosa “ é uma cor !!!! as cores não têm sexo…lololol ou se tem lata ou não para usar
(eu não) lololol
Diário “ não é o mesmo que um blog” lol Não escrevi nada do Género: (Hj fui ás compras e vi a Palmela Anderson no Jumbo…….Jesus ia morrendu) Duhhhhh

Quanto á cozinha, ou sabe-se ou não se sabe….

Acho graça quando elas tentam fazer coisas de homens…loloololololo
Como:
Trabalhar (lol)
Jogar Futebol
Governar etc etc…

E depois somos criticados quando fazemos Blogs…lolololololol


…Há mulheres e Mulheres…..lolol pelo menos uma que conheço que até faz
Zapping etc etc…******* não vê muitas novelas…..ñão liga a conversas de cabeleireiros…..lol esquecia-me ( Mexericos alcovitices e demais afins) só há nos cabeleireiros de bairrozinhos….dai agora percebo essa mulher que conheço nem saber o que isso….lolololololol . Minha rica Cascais .***Uma jóia***
Já agr.....quanto á imagem deste Post...(o tubarão é uma mulher) lolololololololololololololololololololololololollololololololololololol

...Trabalhar nas obras eu..???


Eu queria,mas não posso.Fui a uma entrevista,e pediram-me o meu top 5 de piropos.E eu não estava muito inspirado.Tambem me pediram para assobiar,mas o reportorio dos Canta Bahia não é exatamente o meu forte.Resultado,fui considerado inapto.Não tenho os atributos necessarios.

lol

Wednesday, February 28, 2007

Adeus Pequeno Fevereiro...Olá Março...


O mês de março é o terceiro mês do ano no calendário gregoriano. O seu nome deriva do deus romano Marte, e na Roma Antiga o mês de março era denominado Martius.

Até à implantação do calendário juliano em 45 a.C., no âmbito das reformas administrativas de Júlio César, março era o primeiro mês do ano na Roma Antiga.
Por volta de
21 de março, o Sol cruza o equador celestial rumo ao norte; é o equinócio de março, começo da primavera no Hemisfério Norte e do outono no Hemisfério Sul.

...Por issu ...primavera ...(te aguardo...)

Há dias para tudo....

Convocatória mundial para dia sem computador
Está disponível na Internet uma convocatória, a nível mundial, para que os utilizadores não liguem os computadores no próximo dia 24 de Março. A proposta, denominada “Shutdown Day”, tem origem no Canadá, pela mão de dois jovens de Montreal, e possui versões em várias línguas, incluindo o português. O objectivo não é reclamar nada, mas sim alertar para a dependência diária do computador, em detrimento de outras actividades. A questão levantada tem por base a modificação dos hábitos ocorrida nos últimos anos, ao nível profissional e social, onde existe já uma dependência diária do computador. Os autores referem que se trata de uma das maiores experiências realizadas via Internet e questionam o utilizador se é capaz de passar 24 horas sem ligar o computador. Em matéria de dependência de dispositivos, recorde-se que amanhã, em Espanha, decorre o dia sem telemóvel, mas neste caso trata-se de uma iniciativa de protesto contra o aumento das tarifas.

Tuesday, February 27, 2007

SWEET LITTLE SIXTEEN


Eles entram no comboio da meia-noite. Em Cascais, no Estoril, em Oeiras. Trazem uma garrafa de J&B (15 €), outra de Coca-Cola de litro e meio (1,95 €). Misturam o whisky na garrafa de refrigerante. Bruno tem uns ténis Nike (150 €), Duarte calça uns Reebok (80 €), Tiago tem uma camisola Billabong (80 €). Cada um recebeu uma nota de 20 para sair nesta noite de sexta-feira. O gargalo de plástico circula pelas bocas – não se trata de um método de poupança ou de falta de dinheiro para beber, mas de um ritual de afirmação, de um rápido expediente para abandonar a sobriedade.

Eles têm calças descaídas que quase lhes mostram o rabo. Têm fitas ao pescoço que seguram as chaves de casa. Substituíram as clássicas camisas de riscas por camisolas com gorros, os sapatos de vela por ténis. Dizem: “Isso já não se usa.”

Eles crescem na linha de Cascais. Confessam que não sabem de nenhuma recessão económica, que continuam a receber o mesmo dinheiro. Têm 16 anos. Nasceram em 1988, a primeira geração filha da União Europeia, dos dinheiros comunitários, da prosperidade cavaquista. Nasceram no ano em que o programa Humor de Perdição, de Herman José, foi censurado na RTP, no ano em que Gorbatchev visitou as Nações Unidas quase três década depois de Kruchtchev, quando faltavam meses para que David Hasselhof, o actor da série Marés Vivas, desse um concerto para milhares de alemães celebrando a queda do Muro de Berlim.

Eles não se lembram do país sem auto-estradas, dos carros revistados na fronteira com Espanha, do mundo sem internet, sem telemóveis.

O comboio pára. Grupos de adolescentes saem, movem-se no túnel da estação de Alcântara. Escolhem diferentes saídas. Eles separam-se das amigas. Duarte diz: “Caga nisso, elas querem ir para o W.” Tiago explica o roteiro da noite, enumera as discotecas, todas em redor da estação de comboios: ABS, W, Garage – a mais popular entre os adolescentes –, e o Queens, onde a marca de roupa Billabong organiza uma festa. Pagam 12 euros na entrada. Entregam as senhas no bar. Whisky com Coca-Cola. Tiago, o mais precoce, é o único que não fuma. Com dez anos frequentava as matinés do Bauhaus, no Estoril. Com 11 iniciou-se nos cigarros. Com 16 acabou com o vício.

No domingo, sentam-se numa esplanada de praia. Há cinco rapazes com camisolas Billabong. Há ainda óculos de sol Von Zipper (80 €). Uma moto de 125 centímetros cúbicos (3 mil €), para a qual seria preciso carta de condução que o dono não tem. Estudam em liceu oficiais. Frequentaram colégios privados mas, na adolescência, pediram aos pais para os mudarem para o ensino público. Mais liberdade, menos carga horária, e a suspeita de menos controlo dos professores.

O aparelho nos dentes de Madalena dificulta-lhe a articulação das respostas, tal como a impaciência quando conta que chumbou por faltas a todas as disciplinas: “Não, não sei o que vou fazer.” Depois do castigo, voltou a sair uma vez por semana, com horário de chegada decretado para as sete da manhã. Recebe, nessas noites, e como quase todos os outros, 20 euros.

Há coisas que lhes parecem seguras porque são comuns entre todos. Semanada de 15 a 30 euros. Telemóvel. Quarto equipado com televisão, TV Cabo e computador com internet de banda larga. Dinheiro extra para roupa, para carregar os telefones. Duarte fala da inexistente gestão dos saldos: “Pomos 20 euros no cartão. No dia seguinte não temos nada.” Os amigos gozam com Miguel: “Este gajo gastou 70 euros só a mandar sms, a um cêntimo cada.” Sete mil mensagens escritas num mês, 233 por dia. Miguel tem a cabeça apontada para os ténis. Os amigos substituem-no na tarefa de responder: “Eram para a namorada.”

No ano em que os pais os inscreveram na escola primária, em 1994, Nelson Mandela foi eleito presidente da África do Sul, anunciava-se o fim do cavaquismo com a revolta na Ponte 25 de Abril. Publicaram-se fotos de universitários em manifestações antipropinas – um mostrava as nádegas, outro segurava o pénis. O Benfica ganhou o campeonato nacional. Estreou Pulp Fiction, de Quentin Tarantino.

Madalena chumbou por faltas mas aparece todos os dias na escola, a seguir ao almoço. Conversa com as amigas no outro lado da rua, fuma Camel e, perto das seis da tarde, regressa a casa, liga a televisão, senta-se ao computador para continuar a conversa com as mesmas amigas. Desta vez na internet. Utiliza o msn messenger. Interrompem-na para jantar em família. Regressa mais tarde, para falar nas janelas que saltam no ecrã. Deita-se antes da meia-noite.

Entre os adolescentes, o messenger tornou-se num engenho de contacto social que, como o álcool, dilui a vergonha e facilita a aproximação. Nos Salesianos, no Estoril – mensalidade, no 11º ano, de 303 € –, Rita Costa e Rita Pestana, psicólogas da escola, intercalam-se nas explicações sobre o uso compulsivo do messenger: “Têm mais à-vontade, podem dizer mais coisas. Não há o constrangimento físico de estarem frente-a-frente.” No messenger, não se mostram expressões faciais, desconforto físico. Para um rapaz que, em público e diante dos amigos, nunca iniciaria uma conversa com uma rapariga, basta, na segurança do seu quarto, abrir uma janela e teclar uma frase. O messenger dá-lhes liberdade, porque não é tão controlado pelos pais como era a utilização do telefone. Pode-se falar, pode-se mesmo ver os amigos durante as noites de semana. Trocam fotografias digitalizadas, utilizam microfones, câmaras.

No tempo sem escola, as horas de messenger ultrapassaram a televisão. Madalena diz: “Vejo a telenovela.” Duarte diz: “Sport TV”. Eles ligam o aparelho no quarto mas não lhe prestam atenção. Quase ninguém, neste grupo, vê noticiários, lê livros, jornais, revistas, nem mesmo as cor-de-rosa. Duarte responde, como se quisesse mostrar-se interessado: “Estou a ler Os Maias.” Depois ironiza, para não arriscar estranheza entre os amigos: “Há dois anos.”

Só dois deles têm actividades extracurriculares – fazem desporto federado. Francisco, que passou algumas semanas de verão em Inglaterra, a aprender o idioma, quer ser gestor. Os outros não sabem o que estudar. Não se interessam por viagens. Miguel diz: “Estive em Espanha com os meus pais e em mais uns países, mas não me lembro do nome.”

Internet, telemóveis que enviam fotografias, que produzem música. Num mundo global, eles não se interessam pelo resto do planeta. João Dionísio, psicólogo e director da Multivária, empresa de estudos de mercado, explica o desinteresse: “Estão na fase mais autocentrada da vida, em que se procura uma identidade pessoal, social e sexual. O uso que fazem do dinheiro – nas saídas, na roupa de marca – são tentativas de definição da personalidade. O facto de viverem numa microrrealidade privilegiada, como a linha de Cascais, isola-os mais do mundo. Depois, quando entram na faculdade, descentram-se.” Eles sempre receberam conforto. Confundem-no com preguiça. Uma normalidade que julgam intocável. Nos Salesianos do Estoril, as psicólogas dizem: “O conceito de esforço é diminuto. Estão habituados ao facilitismo, ao excesso de valorização das marcas, ao consumismo.”

Na discoteca Queens, o álcool desbloqueia a agilidade para a dança, o atrevimento das mãos. Duarte passa por uma miúda de saia, de botas, de t-shirt curta que mostra a barriga. Toca-lhe na cintura, ela aperta-lhe o nariz. O jogo infantil repete-se sempre que se cruzam, a brincadeira dos toques. Duarte regressa, informa os amigos: “Ela tem namorado e tem medo de ficar com fama de puta.” Ela tem 13 anos. Meia hora mais tarde tocam as línguas num sofá da discoteca.

Ricardo recorda uma noite no Garage. Como ele, uma rapariga que acabara de conhecer tinha de regressar no primeiro comboio. São sete estações para Ricardo chegar a casa, 19 minutos de viagem: “Não usei preservativo, foi uma rapidinha entre as duas carruagens.” Os amigos confirmam o relato. Nas discotecas, dizem, há mãos de rapazes dentro das calças das raparigas e, por vezes, a troca do favor. Duarte aponta para Catarina: “Ela curte com um diferente todos os fins-de-semana”. Ele, se pudesse, curtia com uma todos os dias.

Segundo um estudo recente da Sociedade Portuguesa de Ginecologia, 16 por cento das adolescentes não usa qualquer contraceptivo, 32,9 por cento utilizou a pílula do dia seguinte.

Tiago analisa a pista de dança, diz: “Elas agora são mais atrevidas. Deixam de ser virgens com um gajo que nunca mais vão ver. Aqui são as maiores, mas na cama acanham-se.” Elas, como Catarina, como Madalena, comentam no domingo seguinte: “Eles querem comer e deitar fora.”

Há mais liberdade sexual, mais precocidade.
Outra vez a internet. Duarte mostra as fotos que as amigas lhe enviam pelo messenger quando conversam. Raparigas em biquíni, em posições sensuais. Ele tem imagens suas para retribuir. Na praia ou com óculos escuros. Há ainda fotografias de algumas adolescentes que, pela falta de discrição de alguns rapazes, começaram a circular. Há a história – e as imagens como prova – de uma miúda de 15 anos que se mostrou sem roupa ao namorado, dobrando-se sobre a câmara, apertando o peito. “Ela encornou-o, explica Duarte, e o gajo, para se vingar, mandou as fotos aos amigos, que mandaram para mais gente. Sempre que ela passava no liceu chamavam-lhe porca.”

Eram dez da manhã quando, num intervalo das aulas, numa rua perto da escola, Miguel e um amigo foram revistados pela Polícia: “Tinha um conto de ganza no bolso.” Miguel apareceu uma vez, como lhe mandou o juiz, na Comissão de Dissuasão para a Toxicodependência. Ficaram de o chamar mas, nos últimos dois meses, ninguém lhe telefonou. Os pais cortaram-lhe as saídas. “Fumei muito na altura do Natal, até na Noite de Consoada. Mas deixei.”

Um estudo do Instituto Português da Droga e da Toxicodependência, de 2001, diz que os jovens provam drogas cada vez mais cedo e que 14 em cada 100 alunos, com menos de 15 anos, já o fizeram pelo menos uma vez.

Na linha de Cascais, o álcool sempre foi mais valorizado que as drogas. Os mais ricos bebem, os mais pobres drogam-se – um legado da hegemonia da heroína, a droga mais suja, mais destruidora, agora de consumo reduzido entre os adolescentes urbanos. Mas o álcool é um teste à masculinidade. Um hábito de classe. Tiago diz: “O copos são melhores para um gajo se divertir.” Um shot num bar custa 1,5 euros, numa discoteca três euros. Entre a uma e as duas da manhã, dois adolescentes são carregados pelos amigos e vomitam na casa de banho do Queens.

Certa noite, Leonor acordou no hospital, com a ajuda de uma injecção de glicose, depois de entrar em coma alcoólico. Os pais foram buscá-la. Todos dizem que os pais sabem que os filhos bebem. Francisco conta: “A minha mãe já me ajudou a vomitar quando cheguei a casa.”

João Dionísio explica o consumo de álcool, de drogas: “Trata-se da partilha de significado com o grupo, da necessidade de procurar sensações, de experimentar. Eles não o fazem porque o mundo é mau, mas porque a música parece melhor, porque ficam mais felizes.”

Eles tinham dez anos em 1998, quando Suharto abandonou a presidência da Indonésia, quando Saramago ganhou o Nobel, quando inventaram o Viagra.

Os adultos costumam ter, em retrospectiva, uma ideia mais pura daquilo que foi o seu passado. Segundo João Dionísio: “Não existe, entre os adolescentes e a geração anterior, uma mudança da temática das emoções. Os impulsos são os mesmos.” Ou seja, o reconhecimento conseguido com as bebedeiras, o estilo e a maturidade dos cigarros, o risco das drogas, a ansiedade sexual. Mudou, no entanto, o tempo de iniciação. Em vez do embaraço ao entrar num clube de vídeo, há a pornografia na internet, e a possibilidade de conhecer estranhos em chats. Há telemóveis aos dez anos, saídas nocturnas aos doze: “Os miúdos do primeiro ciclo fazem imensa pressão junto dos pais”, explicam as psicólogas dos Salesianos. “E, como os outros saem, eles também querem sair. Só daqui a alguns anos poderemos avaliar as consequências desta precocidade.”

No final da tarde de domingo, sem ter de se preocupar com a tristeza que antecipa o despertador na manhã seguinte, nem com as aulas, nem com os trabalhos de casa que não fez, Madalena, a pensar no próximo fim-de-semana, diz: “Dantes é que nos arranjávamos todas para sair, agora nem usamos maquilhagem.”

(Os nomes dos adolescentes neste artigo foram modificados)
By Hugo Gonçalves

Monday, February 26, 2007

...TUDO....E NADA...


...Querem tudo feito......( quem?)


.todos.


...Enquanto houver quem o faça. ( todos ) fica (m) contente (s).


Enquanto (todos) ofuscam e escondem o não saber fazer.


orgulha-te de saberes mais e sere(s) (mos) capaz (es) de executar.

Telhados de Vidro....


...Quem não os têm......


...atire a primeira pedra quem não os tiver.....

Sunday, February 25, 2007

..Um lugar ao "blog"


Blog....

ou Sol......aqui....é o lugar...o direito de antena...lol...

Todos deveriamos ter o nosso "lugar ao Sol" lol neste caso um blog....


por momentos somos criticos das criticas...somos autores criadores, em estilo livre...


...e dantes quando não os havia...era o que?.... as memórias....os diários...bhaaaa "cenas de gaja" lolol --lolol um próximo tema...hemm


dou por mim a escrever escrever ....bom ao menos aproveito o que todos aprendemos....em pequenino...(lêr & escrever).....então eos que não aproveitaram como eu aproveitei.... :/ .


Não têm o seu lugar ao ....hummm !!!! deve ser :-(


Um desafio....a todos.... se somos tão inteligentes porque não arranjamos uma forma de todos termos o "lugar"....melhor que um blog falado e animado......e ajudar;ensinar, mostrar e explicar...é tão simples.....................

Mas......não há tempo??? e isso que dizem....( não acredito)

Se perdem tempo a lêr isto.....então vamos a isto.....

Eu sozinho não consigo.....mas todos nós conseguimos.....


vamos ser teimosos e lutar pelo lugar ao SOL , nosso e do Próximo.


--lololol( juro que não sou pago para isto)



As coisas como elas são


....Amigos vs Amizade… Saberá alguém o verdadeiro sentido de “Amigos”?? Saberá alguém o verdadeiro sentido de “Amizade”?? Amigos: do Lat. amicu s. m., o que quer bem; adj., favorável; partidário; aliado; afeiçoado; que tem amizade. Amizade: do Lat. *amicitate s. f., afeição; amor; boas relações; laço cordial entre duas ou mais entidades; dedicação; benevolência. Serão estas pequenas e poucas palavras que definem valores tão grandes…… …pensem…………………….mais um pouco…….. Afinal se calhar tinham de fazer duas enciclopédias de não sei quantos volumes ao certo…lol para definirem estas palavras…afinal não é assim tão simples…. É mais fácil de quando falamos em amigos….logo nos venha a ideia: uma série de nomes e pessoas que associamos como tal. Mas….existem classes de amigos..lol Não?....bom axo que não….ou os temos ou não temos…..lololol conhecidos centenas,, lol Pelo menos 5 centenas de conhecidos lololol amigos..lolol (não contemos com familiares) que por natureza e a partida estão classificados como tal….. Mas como sempre são poucos…..muito poucos. Embora todos nós já tenhamos recebido os mails “da corrente”..lol aqueles com musiquinha e tudo…lol aqueles que nos fazem sentir os piores seres… e perceber que se calhar somos maus amigos….caso contrário nunca os receberíamos…lol LOL mas vá lá todos gostamos de ter a caixa de entrada cheia de e-mails…lolololol “no pensamento com bolinha” mas claru sem bolinha….lolol Lolol temos que admiti-lo….é universal……. Quem não têm nos listas de contactos” milhares de conhecidos”lololol a pouco tempo descobri o BCC lolol yap graças a “ti”…lolololololol “ti” e um amigo daqueles que não há estrelas suficientes para classificar…lol é um Amigo….lololol Voltando atrás….”ou temos ou não temos” E “ti” e um dos poucos em que podemos contar sucessos, tristezas, alegrias,etc. Porque nem todos são iguais…….”todos temos um ( ti ) ou dois especiais….lololol Os “ti´s são seres de quem gostamos de estar e conviver….lololol sou obrigado a contradizer-me em relação ás classes de amigos :/ Lol Segundo uma tabela virtual e escalonada, existem alguns tipos de “ti´s” Ou seja: Ti´s . da família (aqueles que adoramos ama-mos e temos carinho especial) Ti´s especiais (aqueles que os tratamos como família)* Ti´s aspirantes (aqueles que decerto irão ser dos especiais) Ti´s comuns (lol aqueles que somos obrigados ou não a conviver)lolololol Entre os “Ti´s “ da tabela não há meio termo…..é mesmo assim…lolol ou é ou não é…..isto para mim e a definição de Amigos….. “ti” já agora tive 39Pts…. Devemos cada vez mais cimentar as amizades especiais porque infelizmente no mundo que vivemos…é uma tarefa pior que as obras” desculpem os trolhas os serventes…e os mestre de obras (Aqueles da unha grande,Fio Grossíssimo de ouro e um Mercedes Enormíssimo fora de moda)lololololol É construir amizades sólidas…..lol senão vejam: Estão a imaginar uma turma da primária junta uma vida inteira…hummm não…lol Vão se construindo……lol e como se constrói ??? Fácil não é?....népia népia……lol se fosse fácil devo dizer que não havia discórdias e guerras………….Eramos todos amigos uns dos outros…..lolololol dai haver a palavra que lá no fundo não é só nas guerras que aplicamos: Inimigos. Lolol está bem …..pronto….podemos aplicar em mais situações..lolol o (fisco)LOLOLOLOLOLOLOL os bancos (a meio do mês) LOLOLOLOLOL Bom estes últimos são os “Ti´s comuns”…. Continua....

Saturday, February 24, 2007

o inicio do meu blog


Antes de mais......"lol" espero fazer disto uma coisa decente, irei misturar a lingua de Camões com a linguagem "sms". Ficção ou Realidade....Vão haver personagens ou pessoas, irei usar nomes...reais ou ficticios.....a mente de quêm cria e diferente da mente de quem avalia.... dai....ficção ou realidade....vou deixar essa parte ao critério de quem se der ao trabalho de lêr os meus blogues.....vou manter me anónino....mesmo que alguma vez me torne conhecido pelos meus blogues.... Axo por issu que o falar de mim... é um cliché.....está fora de moda... Os nossos amigos são os melhores criticos para falarem de nós como pessoas que somos. bom mas a amizade e os amigos é um titulo para um próximo blog......

Numa 1º Fase o acesso será restrito (só para quem quero) lolol inda mando no meu blog.......lolololollol por issu a quem receber os convites, e porque tenho os contactos, dai....lololol

Após as criticas logo se vê......